Friday, February 17, 2006

A Ordem e o Caos

Na definição de Dom Pernety,alquimista do séc.18, o caos é a matéria confusa, anterior à forma que lhe é dada pela Obra do criador a partir de certo momento .Do Caos nasce a Ordem, mas da Ordem, quando quebrada a hierarquia ( o Degree definido por Shakespeare, entre outros) nasce também o Caos. Trata-se de um equilíbrio frágil, mutável, como o Yi King exemplifica nas imagens dos trigramas que se lhe referem.
O Caos significa "confusão e mistura" algo que o Rei de MIstura do Conto da Serpente Verde de Goethe representa.É um símbolo da imperfeição que é preciso "polir" (outro conceito alquímico que significa sublimar).
Em Shakespeare é à ordem social e ao caos que se lhe pode seguir que encontramos interessantes referencias, no drama TROILUS AND CRESSIDA.
...
"Oh, quando a ordem se abala, /escada que é para os mais altos desígnios,/o projecto falece.Como poderiam as comunidades/ os graus nas escolas ,irmandades nas terras / o comércio pacífico entre praias distantes,/ o direito devido ao primogénito / prerrogativas da idade,coroas, ceptros, louros / permanecer no lugar que é devido a não ser pela ordem ? / Retirai essa Ordem,
desafinai essa corda ,/ e vede ! que discórdia se segue..../ a ordem sufocada cede o lugar ao caos." (Acto I )

3 comments:

Fokas said...

Cara Prof.,: Quem é que dá ordem às coisas? Será que elas se desarrumam sózinhas como explicava a filha do Dr. Bateson..?
Aquele abraço
Zé Viegas

Yvette Centeno said...

Oh Fokas, manda quem pode, obedece quem deve, não é mesmo o que nos está a acontecer agora ?
No tempo de Shakespeare cortavam cabeças, agora cortam sempre que podem as palavras...

Fátima Inácio Gomes said...

Viva professora
Não conhecia a peça, vi-a, ontem, no Theatro Circo, de Braga, com encenação do Benite. Recordei-me do seu Othello, de 2003, que vi por sua indicação, quando frequentava as aulas do velho mestrado... nostalgia!

Mais uma belíssima peça!
Tudo de bom para si :)